Parceria entre IBS e CEDAC leva Oficina de Mediação de Leitura para educadores da rede pública

Outras notícias

NotíciasReleasesParceria entre IBS e CEDAC leva Oficina de Mediação de Leitura para...

Com participação de educadores de Beberibe, Pindoretama e Cascavel, a Oficina de Mediação de Leitura apresentou ferramentas didáticas para atrair os alunos à descoberta do universo literário.

“A leitura não é algo estático, ela não termina quando fechamos o livro. A cada nova visita às páginas de um livro, se tem também uma nova descoberta e um outro olhar.”, disse a professora da Comunidade Educativa – CEDAC, Alda Beraldo, à frente da formação de Mediação de Leitura, realizada em Beberibe. Educadores e gestores de biblioteca dos municípios de Beberibe, Pindoretama e Cascavel, receberam durante três dias, uma oficina que focou em apresentar aos já professores, o importante papel do mediador de leitura dentro da sala de aula e quais ferramentas podem ser utilizadas para incentivar alunos e toda a comunidade escolar a se sentirem instigados a imergirem no universo literário.

A formação que aconteceu durante os dias 23 e 25 de maio, fez parte das atividades de incentivo à leitura, promovidas pelo Instituto Brasil Solidário – IBS, através do Programa de Desenvolvimento da Educação – PDE. Segundo a Coordenadora do Projeto de Incentivo à Leitura do IBS, Zenaide Campos Farias, além da participação na oficina, o contato com os alunos e educadores que fizeram parte da primeira etapa do PDE em abril mostrou que a escola tem promovido de forma efetiva as propostas já iniciadas.

“Fiquei muito feliz não só pela forma ativa com que os professores se mostraram nessa formação de mediação de leitura, mas por percebermos como toda a escola se envolveu no que trouxemos de proposta para o incentivo à leitura. Fiquei muito entusiasmada principalmente ao ver que a biblioteca estava sempre movimentada nos dias dessa nova formação”, destacou a Coordenadora. O curso contou ainda com a presença de três professores de Cabaceiras/PB, cidade que recebe ações do Instituto desde 2009, para participar da formação.

Para a professora da formação, Alda Beraldo, as atividades práticas fomentadas durante o curso foi um grande passo para mostrar aos professores os métodos de intervenção que precisam ser sempre analisados e provocados pelos mediadores de leitura. “O principal foco dessa formação foi apresentar qual é o papel do mediador. A leitura constrói significados e nós, como mediadores, vamos buscar no aluno essa construção, pois cada pessoa terá uma percepção diferente de uma mesma obra literária. Assim, cada grupo terá um panorama de leitura baseado em suas vivências e é muito rico esse intercâmbio de conhecimento”, pontuou a professora do CEDAC.

A professora Xênia Cardoso, uma das educadoras de Beberibe, ressaltou que o curso conseguiu desmistificar o processo de ensino aprendizagem em torno da leitura, trazendo ideias mais dinâmicas e interativas. “A Oficina nos despertou um novo olhar sobre as obras literárias e a busca do leitor que existe dentro dos nossos alunos. Debatemos sobre como incentivar a leitura por prazer, instigando os estudantes a terem vontade de procurar novos livros e conhecer sobre seus autores”, disse a professora que ensina na Escola Desembargador Pedro de Queiroz, em Beberibe, escola modelo que, além de recursos materiais, está recebendo amplos processos de formação continuada pelo PDE.

Como parte da formação dos mediadores de leitura, a oficina ressaltou a importância de um acervo propício as atividades escolares, com uma biblioteca diversificada, onde os professores podem ter acesso a livros para todos os públicos e faixa etária. Na escola Desembargador Pedro de Queiroz, em Beberibe, todos os livros utilizados durante a formação ficaram à disposição da biblioteca da escola, somando ao acervo em torno de 500 livros já doados pelo Instituto Brasil Solidário.

Anjos da Leitura

Em uma oficina onde o aprendiz são os professores da escola, a turma de Mediação de Leitura, foi surpreendida com a visita dos alunos do 8º e 9º ano, da Escola Desembargador Pedro de Queiroz, que estiveram no curso de incentivo à leitura realizado em sua escola e agora, estão expandindo conhecimento através do projeto “Anjos da Leitura”. Com uma programação que perpassa a sala de aula, os alunos foram apresentar um pouco sobre o trabalho que vem sendo realizado mensalmente em outras instituições da comunidade para despertar o interesse em novos leitores.

Dentro da escola, os “Anjos da Leitura”, percorrem os corredores das turmas do Fundamental I e II levando um baú com várias opções de leitura, para todos os gostos. Os alunos apresentam gêneros e estilos literários diversos, de acordo com o público da sala visitada, e plantam uma sementinha, mesmo que de curiosidade, para que os estudantes despertem o interesse em conhecer mais das muitas histórias disponíveis no acervo da biblioteca da escola.

Para além dos muros escolares, os alunos do projeto estão visitando espaços como o Lar Bom Samaritano, levando também em seu baú, uma variada opção de leitura, sempre fazendo um papel de mediação, relatando os causos e obras literárias que podem ser interessantes e trazer para o mundo dos livros novos seguidores. Para o próximo mês, de junho, os alunos já estão com programação de visita para a Associação da Terceira Idade, em Beberibe.

Sobre o Programa de Desenvolvimento da Educação

O “Programa de Desenvolvimento da Educação – PDE” atua por meio de seis áreas temáticas que conversam diretamente com o currículo escolar. São elas: incentivo à leitura, educação ambiental, uso de tecnologias em sala de aula e como instrumento ao protagonismo, valorização das artes regionais, prevenção e saúde e empreendedorismo.

Com resultados significativos em indicadores como IDEB, diminuição da evasão e aumento da frequência escolar, as ações acontecem por meio de atividades práticas, que acontecem unindo educadores, gestores, alunos e suas famílias. Esses são alguns dos diferenciais para que o processo de ensino aprendizagem seja mais eficiente e dinamizado, de modo criativo e significativo, proporcionando aos alunos formas de participação ativa na construção de seu próprio conhecimento, e aos professores e gestores, estratégias mais interessantes e prazerosas de condução de atividades pedagógicas. Por meio de políticas públicas e formação de uma rede de multiplicadores, garante-se ainda o processo de escala de parte dos serviços oferecidos a sociedade com a bandeira do “Juntos Construímos”.

As ações do Instituto no ano de 2017 contam com financiamento de: Instituto Samuel Klein, Palmeirinha Ação Social, Machado Meyer Advogados, Tecnisa, OverSeas e Bank of América Merrill Lynch. Além deles, apoiadores pessoa física também realizam investimentos via leis de incentivo fiscal (Lei Rouanet).

No Ceará, o IBS já conta com o apoio de organizações como a Faculdades Nordeste – FANOR, Associação Caatinga, Instituto Beatriz e Lauro Fiuza – IBLF e a Social Brasilis, de Fortaleza. Os parceiros também estão em diferentes regiões do Brasil.

Atualmente, temos apoio de grandes referências em segmentos importantes para o desenvolvimento social como a Rede de Ação Política pela Sustentabilidade – RAPS, além do reconhecimento da Rede Folha de Empreendedores Sócio Ambientais – Schwab Foundation for Social Entrepreneurship, entre outros.

 

OUTRAS NOTÍCIAS

Gabriela Martins
Gabriela Martins
Assessora de Comunicação | @brasilsolidario

Populares

" });