Minha História IBS: De Crateús (CE) para o Brasil: a cruzada ambiental de Wanderley Marques

Outras notícias

NotíciasReleasesMinha História IBS: De Crateús (CE) para o Brasil: a cruzada ambiental...

“Faça do seu dia a dia como se você estivesse contribuindo para um mundo melhor. Trabalhar para melhorar a qualidade de vida do sertanejo e a cada dia ter com o que se orgulhar de nossa terra”, esse é o princípio que rege a vida de Wanderley Marques de Sousa, professor do Ensino Fundamental II em Crateús (CE). 

Quem já ouviu falar do município, sabe que lá é o berço do LEVE (Local de Entrega Voluntária Escolar) e um dos maiores polos de sustentabilidade da região. Mas a história com o IBS começa bem antes disso, com a passagem do Rally dos Sertões pela cidade em 2002. 

Dois anos depois, quando a parceria com o IBS se fortalece, ele vê diversas ações sendo implementadas no município, como a horta escolar, o viveiro de mudas, a construção de uma biblioteca, a lâmpada solar, a rádio escola, entre outras. Dentro dele, uma semente foi plantada. 

Em 2009, Crateús recebe, enfim, as ações do PDE. Já atuando pela Coordenadoria de Meio Ambiente da gestão municipal, Wanderley enxergou que novos caminhos eram possíveis: “Inspirado pelas ações que aconteciam, me senti provocado a pensar em projetos a serem desenvolvidos na zona urbana com foco na sustentabilidade envolvendo docentes e discentes das escolas municipais”, diz. 

Desta provocação, várias ações se seguiram. A primeira delas foi a implementação de viveiros de mudas em todas as escolas do município, urbanas e rurais, com o objetivo de recuperar áreas degradadas disponibilizando mudas nativas e frutíferas para enriquecer a flora nativa da caatinga. 

Depois, em 2010, Wanderley foi uma das pessoas à frente do Programa de Coletiva Seletiva de Crateús com a organização da Associação de Catadores (RECICRATIU), que mudaria a realidade da região. “A construção e instalação do galpão de triagem, culminando com o início do programa de Coleta Seletiva porta a porta em março de 2012, sendo, em 2013 premiado com o Selo Pró-catador do Governo Federal”, orgulha-se. 

Após encerrar seu ciclo na gestão municipal, voltou a lecionar. Até que em 2018 recebeu o convite do IBS para integrar a equipe nas ações do PDE. “Foi uma honra, pois essa experiência da educação ativa está sendo significativa profissionalmente. A interação com os alunos e comunidade escolar de lugares diversos contribuindo na multiplicação de saberes em Educação Ambiental, lançando sementes que proporcionam esperança, conservação e preservação dos recursos naturais, alimentação saudável e o despertar para o cuidado da nossa mãe terra”.   

Nem mesmo a pandemia foi capaz de frear o avanço. Com o EaD, a missão seguiu. “O IBS conseguiu trazer essa metodologia em que os educadores têm acesso a oficinas à distância, sem perder a qualidade e comprometimento de todos os envolvidos. Trouxe a possibilidade de poder contribuir com a promoção da sustentabilidade ambiental em todos os biomas brasileiros”, comemora. 

Hoje ele se divide seu tempo entre a aulas na escola, o EaD de Educação Ambiental e os trabalhos de campo do PDE. “A cada ação, novas aprendizagens, vivências, amizades e a certeza de contribuir na mobilização e fortalecimento dos professores semeadores e multiplicadores em Educação Ambiental por todo o território brasileiro”, finaliza. 

E, assim, Wanderley vai construindo o seu dia a dia, contribuindo para um mundo melhor. 

OUTRAS NOTÍCIAS

Gabriela Martins
Gabriela Martins
Assessora de Comunicação | @brasilsolidario

Populares