«

»

Minha história IBS: Márcia Andrade, uma missão de vida e de amor!

 A educadora Márcia Andrade, começou como multiplicadora das ações IBS e chegou a assumir a Secretaria do Meio Ambiente em Crateús

Dica -03

 

 “A Gestora Ambiental, Márcia Andrade, que hoje faz parte da equipe do IBS, conheceu as ações através de um Seminário em Crateús e conseguiu alcançar resultados importantes nas escolas e no município com projetos de sustentabilidade”
Uma ação social que transformou a trajetória profissional da educadora Márcia Andrade! O Instituto Brasil Solidário que já fomentava ações em Crateús desde 2002, retornou ao município mais uma vez em 2009, levando as atividades do Programa de Desenvolvimento da Educação – PDE/IBS para serem trabalhas em mais três escolas de ensino público da região. O primeiro evento das formações abriu com um Seminário Municipal, onde foram apresentados os eixos temáticos que seriam realizados em cada oficina prática, motivando a participação de professores de todas as escolas do município.
“Eu lembro de cada detalhe desse dia do Seminário, foi um momento muito marcante, deu um despertar dentro de mim, eu saí dali muito encantada, então logo no dia seguinte, eu peguei minha moto, levei minha filha de dois anos comigo e fui participar das Oficinas que estavam sendo realizadas na comunidade Curral do Meio, em Crateús”, disse Márcia.
A educadora que lecionava a disciplina de Ciências, na Escola Francisco Carlos de Pinho, numa comunidade pequena da zona rural do município, chegou para participar das formações com sede de aprendizado e motivação para absorver o máximo de conhecimento em todas as oficinas que estavam sendo ministradas. Após conhecer de perto as atividades práticas que exigiam poucos materiais para serem replicados na escola, ela retornou à sala de aula cheia de novas ideias e pensando numa mudança com impacto não só em suas aulas, mas em todos os espaços da escola que trabalhava.
“Formei um grupo com 20 alunos que compraram a ideia do projeto, e no mesmo mês nós mexemos com tudo, conseguimos arborizar e fazer a horta da escola, promover uma oficina de reciclagem, mudar os espaços de leitura, demos um novo visual para a biblioteca, colocamos livros no pátio da escola para atrair as crianças, além das ações dentro de sala de aula, onde eu fiz questão de desenvolver atividades de Teatro, de Educomunicação, meus alunos ficaram super empolgados”, ressalta Márcia.
A cada nova ação, a educadora registrava as atividades e compartilhava com o Instituto Brasil Solidário, mostrando a transformação conquistada com protagonismo dos próprios alunos e já motivando outros educadores a darem continuidade para as atividades. Diante da mobilização, o Instituto possibilitou um apoio importante para a escola, com doação de material para a Horta Escolar, além de um mobiliário novo e mais de 1000 livros para a biblioteca da escola.
“O Luis conversou comigo, explicou que a minha escola não estava na rota prevista para o projeto, mas diante dos resultados que ele estava acompanhando, o Instituto iria retornar para visitar a nossa escola, eu fiquei muito empolgada, começamos a fazer pufes sustentáveis, molduras com papéis reciclados, inclusive sendo encomendadas pelo Instituto para serem utilizadas nas Oficinas de Fotografia. Com isso, nós ganhamos seis computadores, a rádio escolar e até um liquidificador industrial para os trabalhos com reciclagem, foi uma transformação para os alunos e todos da escola”, enfatiza, Márcia.
Para além das atividades que seguiram com engajamento de toda a gestão escolar, a proposta de multiplicação, gerou impacto também na comunidade, com trabalhos de coleta seletiva. As ações passaram a ser uma referência no município e o Instituto convidou Márcia para participar das Oficinas em Tamboril, uma cidade vizinha de Crateús. As oportunidades com a Educação Ambiental abriram grandes possibilidades profissionais para a educadora, que passou a ser uma das formadoras das Oficinas do Instituto.
“Eu comecei de forma tímida realizando alguns trabalhos dentro da escola, depois tive essa oportunidade de estar ministrando as oficinas do IBS, e quando pensei em fazer uma especialização, o Instituto me ajudou com meu Mestrado em Gestão Ambiental, que fiz na Universidade de San Carlos, no Paraguai”, ressalta Márcia.
O reconhecimento veio também por parte da Prefeitura Municipal de Crateús, que chamou Márcia para a Secretaria de Meio Ambiente no final de 2011, assumindo a coordenação da Educação Ambiental, posteriormente da Coleta Seletiva e, nos anos de 2015 e 2016, esteve como Secretária do Meio Ambiente do Município. Nesse mesmo período, o Instituto fortaleceu a parceria junto a gestão municipal, implementando o Programa LEVE – Local de Entrega Voluntária Escolar, um projeto pioneiro de tecnologia socioambiental no Brasil, envolvendo desde a comunidade escolar, até a gestão pública e a associação de catadores do município.
“Eu me emociono até hoje quando lembro daquele primeiro Seminário, foi a partir daquele momento que eu descobri minha missão de vida, foi esse encontro com o Instituto, que me fez compreender minha missão profissional. Hoje eu vivo da Educação Ambiental, mas eu trato como uma missão de amor, eu descobri que é algo que eu quero fazer para a vida toda”, ressalta a Gestora Ambiental, Márcia Andrade.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− dois = 3