«

»

Um novo Anjo da Leitura surgiu em Tianguá: Jéssica Sá

A educadora Jéssica Sá acompanhou todas as oficinas promovidas em Tianguá, Ceará, e agregou diversas técnicas de arte, costura, teatro e até marcenaria para promover a Mediação de Leitura na região!

A mediação de leitura sempre foi a paixão declarada da educadora Jéssica Sá, que sempre esteve à disposição na comunidade de Valparaíso, em Tianguá/CE, para promover os eventos, as apresentações e festividades da região, principalmente, quando o encontro acontecia dentro das escolas da comunidade!

Em 2017, chegou a notícia de uma ação social que iria mobilizar as duas escolas do assentamento Valparaíso, era o Projeto Ventos que Transformam, da Echoenergia, com realização do Instituto Brasil Solidário, que levava não só uma formação, mas uma semana inteira com várias opções de atividades de arte, cultura, educação ambiental, empreendedorismo, e claro, muito incentivo à leitura, incluindo a montagem de espaços literários.

Jéssica se prontificou a participar de todas! Mas diante de tantas opções, optou por conhecer o teatro de sombras, e nele, entendeu que a contação de histórias poderia ir muito além das rodas de leitura com indicações literárias. Passeando pelas outras formações, descobriu que poderia fazer aventais literários, tapetes, caixotes e até fantoches com meias e retalhos coletados na comunidade.

“Quando eu vi o IBS com aquelas confecções de aventais, a biblioteca organizada, os fantoches, o cenário, até a vestimenta no momento da indicação literária, tudo era um casamento perfeito e contribuía para o trabalho de incentivo à leitura, para alcançar um impacto maior no leitor! Foi o Instituto que trouxe esse novo colorido para a minha contação de histórias, fiz uma minibiblioteca na minha casa, que eu mesma pintei e organizei, e hoje promovo vários projetos literários para a comunidade, até no meio virtual”, ressalta a educadora.

Os projetos ganharam ainda mais força após a inauguração da Biblioteca e Espaço de Leitura Ventos que Transformam, que entregou para a comunidade uma estrutura de 120 m² num ambiente lúdico e com um rico acervo literário, integrado a doação de 1000 livros para as duas escolas do assentamento. Jéssica se tornou uma mobilizadora dos trabalhos dentro da biblioteca, promovendo inclusive momentos de acolhimento aos visitantes de outras escolas do município, o espaço passou a ser uma referência para as atividades de leitura contando com apoio dos educadores do “Anjos da Leitura”.

Mas, a sede de aprendizado não se conteve nas primeiras oficinas e em ações somente dentro da biblioteca. A educadora soube de novas formações do IBS, dessa vez a ideia era voltada a capacitação de Corte e Costura, e também Marcenaria, não envolvia leitura diretamente, mas Jéssica encontrou nessas oportunidades mais uma opção de abrir seus horizontes no trabalho feito com seus alunos.

“Eu sempre gostei de fazer minhas fantasias, meus bonecos, todos os detalhes da minha contação de histórias, eu mesma costurava os personagens, então quando soube da Oficina de Costura, vi mais uma oportunidade e foi maravilhoso! Aprendi a fazer os fantoches, as roupas de bonecas, aventais, e, claro, um acessório essencial de combate à COVID-19 com as máscaras de proteção, que eu também passei a ajudar nas vendas aqui na comunidade. Na Marcenaria, aproveitei para conhecer a técnica de construção da marionete em madeira, já comecei a fazer e quero finalizar o mais breve possível, para agregar nas minhas atividades”, enfatiza Jéssica.

Durante o período de isolamento social, com o distanciamento das aulas presenciais, os projetos de leitura em casa ganharam um significado ainda mais importante para a comunidade. Junto com sua filha de 7 anos, a educadora montou um espaço de leitura com várias atividades lúdicas sendo produzidas e divulgadas nas redes sociais para todos os alunos e educadores da região.

“Comecei o meu projeto em casa, com a minha filha, onde desenvolvemos atividades de leitura nesse período de distanciamento social, e eu fico muito feliz com os resultados, já tem outras mães fazendo essas ações, está contagiando aqui na comunidade, e são coisas simples, mas que ajudam a tornar esse momento mais leve, mas prazeroso, nós já fizemos atividades com os jogos Piquenique, com o teatro de sombras, e na contação de histórias minha filha tem surpreendido, participado de todas as etapas e ela está uma contadora de histórias perfeita, indica um livro como ninguém”, ressalta Jéssica.

Nessa caminhada da leitura, Jéssica já conseguiu confeccionar 5 livros, alguns voltados especificamente para a história das duas escolas de Valparaíso, além de uma produção lúdica sobre a COVID-19 para apresentar as crianças, num trabalho continuado e com muita criatividade que segue sendo multiplicado com toda a arte e paixão da educadora pelo trabalho que realiza na sua comunidade.

“Eu acredito que boa parte de tudo que eu aprendi, que eu adquiri, envolve também o sentimento de amor que vi em cada formação do IBS, cada cuidado visto nas oficinas, isso foi primordial pra valorização de tudo, porque a gente tem a sensibilidade, tem o amor já de comunidade, mas quando acompanhamos alguém de fora, e tendo esse amor pela nossa comunidade, nós fortalecemos ainda mais esse sentimento, é como diz o IBS: “Juntos Construímos”, é realmente isso, a gente se apropria desse lema e vivencia isso! Foram momentos preciosos e, nós só temos a agradecer”, reforça Jéssica.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


× 9 = dezoito