«

»

DICA PEDAGÓGICA IBS: A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA NA ESCOLA

A ARTE LITERÁRIA UMA PROPOSTA NA FORMAÇÃO DO CIDADÃO
O objetivo primordial desta dica pedagógica é sugerir reflexões a respeito de como melhorar o interesse pela leitura da literatura na escola e estreitar a relação entre texto e leitor para que haja interação e transformação em sua vida.
21056188_1415616738546294_8772071392336764564_o-300x224
O aluno precisa perceber que através da leitura de um texto literário conseguimos imaginar, sentir, questionar e criar diversas possibilidades de leitura do mesmo texto e entender que através desse mesmo texto, podemos confrontar e relacionar com a sua realidade.
Zilberman e Silva (2005) enfatizam sobre a importância de se aprender a ler, para que o leitor ascenda instrucional e socialmente, caminhando para o sucesso. A literatura, quando abordada e trabalhada de maneira significativa para o aluno, segundo Eagleton (2003) a literatura instiga, excita, e é um instrumento valioso de atitude e poder.
20861671_1410416879066280_6980442569139348559_o-300x225É sempre importante demonstrar a distância existente, na atualidade, entre o adequado ensino da literatura e da leitura literária, diante da prática de reduzir todo o ensino de Linguagem ao uso de gênero textuais, no ensino fundamental. O professor precisa ser sensível ao lado literário, para que a literatura torne a ser valorizada na escola. O professor necessita ser desafiador para que os seus alunos sintam prazer e necessidade em ler.
É lamentável, mas podemos observar o declínio do ensino de literatura na falta de leitura por parte de alguns alunos, talvez porque não haja sentido na leitura para o estudante, ele não vê razão útil para estar lendo este ou aquele livro.
21687408_10214535218640037_4202670598460552395_n-168x300Quase tudo que fazemos ou nos propomos a fazer tem que possuir um sentido, uma motivação para estar sendo realizado e ou objetivos pré-definidos, a fim de que algo dentro de nós aconteça, cause uma transformação, provoque a Catarse como ensinava Aristóteles.
Se não ocorrer a identificação/afinidade entre texto e leitor, não acontecerá à fusão, o prazer e a transformação na vida desse estudante, não acontecerá à percepção do mundo a partir da leitura.
Ana-02A função primordial da literatura é formar e transformar a vida do aluno com racionalidade e possiblidade de escolhas. O texto literário é matéria prima indispensável aos alunos desde pequenos. A escola precisa acordar e se posicionar frente a essa problemática e entender que é através da literatura que o indivíduo se transforma interiormente, no plano mental, pode ser sensibilizado, aumentar a sua criticidade frente às diversidades do mundo. A própria escola se questiona por que os alunos não gostam de ler, porque não sabem ou não querem ler.
Ao se tratar da leitura e atividades com textos literários clássicos, o problema tende a aumentar e a piorar.  A formação de um cidadão não é feita somente por ele estar sentando num banco de escola. Existem outros fatores, que nos fazem refletir sobre o assunto.
Dica -04Afinal, na escola, que é um lugar de formadores de opinião, vemos mais sujeitos passivos do que ativos em sala de aula, aceitando passivamente os conteúdos ministrados sem questionar nenhum deles ou propor novos conteúdos. Cidadão não é somente aquele que convive em sociedade e que paga as suas contas, mas também, aquele que questiona ensinamentos, ideias, decretos, que conhece seus direitos e deveres, e suas necessidades enquanto cidadão. Sendo que a literatura tem esse poder de nos fazer pensar por nossas próprias ideias, aprender a questionar e se não há interesse em fortalecer, melhorar ou enriquecer os conteúdos na literatura ministrada na escola, então como ensinar?
Terry Eagleton (2003, p. 2) fala que para trabalhar a literatura, talvez possamos realizar uma abordagem diferente em sala de aula, sem utilizar uma definição da literatura, visto que ela tem uma linguagem mais específica que a caracteriza como tal.  Assim, as oportunidades serão criadas para o aluno desenvolver a habilidade de uma nova leitura da literatura e a realidade do estudante será transformada.
30 min -24O exercício dessa função [...] é delegado à escola, cuja competência precisa tornar-se mais abrangente, ultrapassando a tarefa usual de transmissão de um saber socialmente reconhecido e herdado do passado. Eis porque se amalgamam os problemas relativos à educação, introdução à leitura, com sua consequente valorização, e ensino da literatura, concentrando-se todos na escola, local de formação do público leitor (ZILBERMAN, 1991, p.16).
A escola precisa efetivamente incentivar os alunos a lerem e lendo eles verão o mundo de uma outra forma percebendo o mundo em que vivem. Esse trabalho é um ensaio procurando novos rumos para o ensino literário na escola, formando cidadãos mais críticos e conscientes. Tentando diminuir esse distanciamento imposto, talvez, pela falta de conhecimento e de interesse de quem poderia e deveria valorizar a literatura em sala de aula.
Perceber se há ou não importância e qual o grau de importância dada à literatura e qual a interferência na vida dos alunos. Sugerindo reflexões a respeito para que haja valorização da literatura por parte da escola, professores, alunos e até mesmo a família.
39151757_1805091782932119_3823273294400847872_nNas diversas oficinas de incentivo à leitura realizadas pelo IBS observamos as discussões, as convergências e divergências entre professores e alunos. Verificamos que o livro didático é muito presente na vida dos alunos dentro e fora da sala de aula. Os professores incentivam os alunos para lerem os livros didáticos.
Percebemos que há o interesse de alguns alunos nos textos literários, mas é claro e evidente que os alunos não sabem o que é literatura, não tem a mínima noção do que seja literatura e em relação as professoras, verificamos que a literatura ainda é vista e trabalhada de uma forma superficial.
39397733_1805091322932165_2750393663610683392_nDiante destas experiências em várias escolas e regiões do nosso país, sugerimos a importância ao ensino literário destinado a crianças e adolescentes não ficando na superficialidade, mas aprofundando e desafiando esses alunos, para que saiam do ócio literário e realmente se percebam como sujeitos ativos.              
Essa dica pedagógica IBS pretende auxiliar professores e alunos para que haja consciência e valorização no ensino e a na aprendizagem da literatura. Percebendo um compromisso e a dinamicidade do estudo literário na escola. Para que haja garantia e crescimento intelectual e social desses alunos, visto que, seja a literatura um processo transformador e qualitativo na vida de cada criança e adolescente. Ocorrendo isso, teremos adultos melhores, questionadores, transformadores e sabedores de seus direitos e deveres.
E o processo inicia na escola, com a responsabilidade de nós, professores, estarmos tendo essa dupla visão, atuando como mediador diante desse embate e levando em conta os conhecimentos prévios de seus alunos, referente a essa questão, e abordando de maneira clara e inovadora os novos conhecimentos.
58778969_2169460646495229_2652265403337670656_n
Você sabia que no dia 1º de Maio também comemoramos o “Dia da literatura brasileira”
A data é uma homenagem aos grandes escritores e às suas belíssimas obras, que passam por uma extensa e rica diversidade de escolas literárias, marcando cada período social e intelectual da história do Brasil e a importância da arte literária na nossa história.
Origem do Dia da Literatura Brasileira
O Dia da Literatura Brasileira é uma homenagem ao aniversário de um dos mais importantes autores do Romantismo Brasileiro, José de Alencar.
José Martiniano de Alencar nasceu em 1 de maio de 1829, e ficou conhecido por ser o primeiro escritor brasileiro a retratar o seu país exatamente como ele era, ou seja, com os personagens típicos do Brasil, como o índio e a vida no sertão nordestino.
Alencar era cearense e, além de escritor, também atuava como advogado, jornalista, deputado e ministro da justiça.
José de Alencar escreveu importantes obras consagradas em nossa literatura como: O Guarani (1857), Iracema (1865) e Senhora (1875).
José de Alencar, Machado de Assis e Jorge Amado sempre são grandes nomes citados em todas as oficinas de incentivo à leitura IBS, nas rodas de conversas literárias e por nossas redes sociais, mas também não podemos deixar de fora outros nomes importantes como:
  • Euclides da Cunha, autor da obra: Os sertões (1902)
  • Monteiro Lobato, criador do Sítio do Pica pau Amarelo (1939)
  • Carlos Drummond de Andrade, autor de Sentimento do Mundo (1940)
  • Clarice Lispector de A hora da Estrela (1977)
Dentre tantos outros autores que marcaram a importância da literatura brasileira.
Por isso, de uma forma diferente, buscamos falar sobre a importância da leitura para nossa formação, e como essas obras ainda continuam impactando vidas como as dos “Anjos da Leitura IBS”.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
 
EAGLETON, Terry. Teoria da Literatura – Uma introdução. Tradução de Waltensir Dutra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 1991.

ZILBERMAN, R.; SILVA, T.E. Leitura: por que a interdisciplinaridade? In ZILBERMAN, R.; SILVA, T.E. (Org.) Leitura Perspectivas Interdisciplinares. São Paulo: Ática, 2005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


nove + 4 =