«

»

Dica Pedagógica – IBS: “Práticas de Mediação de Leitura”

Ler é ir ao encontro de algo que está para ser e ninguém sabe ainda o que será.
(Ítalo Calvino)
Dica -15
Oficinas Mediadores de Leitura – IBS: Formação do Leitor
A leitura, é um ato de simbolização e representação do mundo. O objetivo das “Oficinas Mediadores de Leitura – IBS” é, portanto, pensar a leitura em suas diferentes vertentes como práticas sociais de inserção no mundo por meio da mediação para a formação de leitores.
Formar leitores críticos que compreendam o papel da leitura no dia a dia representa um desafio para educadores, bibliotecários, agentes de leitura, pais, mães e uma gama de profissionais e pessoas que chamam para si essa importante ação.
39388967_1807954745979156_2201849279608258560_nNão há modelos para formar leitores ou para formar mediadores de leitura, pois os modelos certamente se esgotariam. O que propomos em nossas oficinas, é a possibilidade da mediação sensível que se constrói no cotidiano de professores, bibliotecários, pais, agentes de leitura e outros indivíduos que se dedicam a provocante missão de contribuir com o ato da leitura.
Quando nos referimos ao que chamamos aqui de formação do leitor, precisamos deixar claro tratar-se de uma ação educativa, e não de gerar formas ou moldes. Pensamos nas práticas dialógicas do ato de ler, do leitor como elemento principal dessa prática pedagógica, visto no seu todo como ser que pensa, age, reflete, analisa e decide.
Dica -08
Estamos falando de uma ação de protagonismos, tanto do mediador quanto do leitor.
No desafio de mediar a leitura, não podemos esquecer a importância das linguagens, pois a mediação é um ato de comunicação entre os sujeitos e de partilha entre interlocutores.
32545718_1675632562544709_2153352394392469504_nSobre o que caracteriza o mediador de leitura, temos algumas pistas:
a) Inicialmente, deve tratar-se de um(a) leitor(a), alguém que gosta de ler. É um(a) leitor(a) crítico(a), cujas experiências são partilhadas no processo de interação com o outro;
b) Além da experiência de leitura, é necessário gostar de comunicar-se, de falar do que lê, compartilhar seus repertórios e afetividade;
c) Percebe na mediação a possibilidade de mudança a ser realizada no cotidiano das pessoas, de modo que compreendam o espaço que a leitura ocupa em suas vidas;
d) Compreende as diferentes fases pelas quais um leitor se constrói e se torna íntimo da leitura, sem exigências, deixando fluir, sem estabelecer juízos.
“A mediação da leitura, portanto, é um ato de comunicação com o outro ou consigo mesmo, daí a necessidade de se ler criticamente para o exercício da cidadania”.
Dica -04A MEDIAÇÃODA LEITURA NA PRÁTICA
Planejar e trilhar um caminho atraente para mediar a leitura e formar leitores é, sem dúvida, um desafio, tendo em vista que são muitas as possibilidades de leitura nos tempos atuais, inclusive em épocas de redes sociais e o poder de atração da internet.
Entre os desafios, alguns que queremos destacar:
• As competências do(a) mediador(a)
• As condições nas quais as práticas se desenvolvem
• Os objetivos da mediação
• As ambiências
• A periodicidade das práticas
• A acessibilidade da leitura
• A existência de acervos atrativos que gerem o interesse do público
Dica -11
Práticas de Mediação de Leitura
12 passos para uma boa mediação de leitura
O(A) mediador(a), ao preparar práticas leitoras, deve reconhecer a priori os objetivos que deseja alcançar, assim como ao escolher possibilidades de leitura como livros, gêneros textuais, temáticas e material de apoio para ampliar o diálogo, tendo conhecimento prévio do público a que se destina e de suas competências leitoras:
1) Planejar a prática de leitura com antecedência, de modo bem detalhado: textos a serem lidos, ambiências, atividades etc.;
2) Escolher textos adequados à situação e ao nível de compreensão dos leitores;
3) Ler previamente os textos a serem trabalhados;
4) Organizar a ambiência onde se dará o encontro (biblioteca, sala de aula, residência, sala de estar, varanda, quintal, praça etc.);
5) Expor livros e outros materiais de leitura de modo que possam gerar atração e curiosidade;
6) Estimular o grupo para gerar interação com as obras e a temática apresentada;
7) Conversar informalmente com os participantes sobre livros, leitura e assuntos diversos;
8) Elaborar atividades dinâmicas e criativas;
9) Utilizar o próprio livro para a leitura, de modo a gerar familiaridade;
10) Relacionar a leitura a outras possibilidades: música, teatro, dança etc.
11) Ler em voz alta e com boa entonação para que todos compreendam o que está sendo lido;
12) Dar autonomia aos leitores para partilharem suas histórias, leituras e narrativas, bem como exporem posicionamentos.
FONTE: ava.fdr.org.br/pluginfile.php/523149/mod_resource/content/6/FASCICULO-2.pdf
Dica -05
IMPORTANTE
A mediação da leitura não se encerra na prática desenvolvida. Ela deve ir ao encontro dos interesses do leitor como passaporte para novas leituras, interpretações e desdobramentos.
Tem que gerar inquietação, pois ao compartilhar a leitura, cada indivíduo irá experimentar um sentimento de pertença, de apropriação, possibilitando abrir-se para o outro, introduzindo-o no mundo (PETIT, 2008), de modo autônomo, exercendo o direito da crítica e da liberdade.
A ação mediacional é um processo de interação entre o leitor, o texto, o mediador e o outro. Tal ação ocorre (ou deve ocorrer) permeada pela circulação de ideias entre os sujeitos, em meio à troca de experiências e opiniões.
Dica -09Gostou da nossa dica pedagógica? Ficou interessado em saber mais?
Leia, curta e compartilhe as nossas dicas pedagógicas.
Juntos construímos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


9 − = quatro