«

»

Dicas Pedagógicas – IBS: Educação Ambiental 01

SUSTENTABILIDADE NÃO É SÓ MEIO AMBIENTE. TEM A VER COM LEGADO E RELAÇÕES HUMANAS: É um ato de civilidade, faz parte de uma harmonia social que demonstra respeito pelo próximo e torna a sociedade mais justa.
O maior desafio dos educadores no século XXI é se adequar a maneira como as crianças e adolescentes pensam para que o conteúdo seja absorvido de maneira satisfatória. Uma boa estratégia é trazer a prática para a aula. Deste modo, a teoria passada em sala ganha exemplos reais e deixa de ser abstrata.
A Educação Ambiental é um dos tópicos mais importantes a serem absorvidos pelas crianças, explorar sua relação com a natureza e os impactos que suas ações podem causar no sentido ecológico.
DP -01
A Educação Ambiental, segundo a lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999 que estabelece a Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA) é um componente essencial e permanente da educação Nacional, devendo estar presente em todos os níveis e modalidades do processo educativo formal e não-formal como tema integrador de acordo com a BNCC.
Por seu caráter humanista, holístico, interdisciplinar e participativo a Educação Ambiental pode contribuir muito para renovar o processo educativo, trazendo a permanente avaliação crítica, a adequação dos conteúdos à realidade local e o envolvimento dos educandos em ações concretas de transformação desta realidade.
42104908_344826629590666_3984389827050078208_n
ALGUMAS ESTRATÉGIAS DE ENSINO PARA A PRÁTICA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Um programa de educação ambiental para ser efetivo deve promover simultaneamente, o desenvolvimento de conhecimento, de atitudes e de habilidades necessárias à preservação e melhoria da qualidade ambiental.
Utiliza-se como laboratório, o metabolismo urbano e seus recursos naturais e físicos, iniciando pela escola, expandindo-se pela circunvizinhança e sucessivamente até a cidade, a região, o país, o continente e o planeta. A aprendizagem será mais efetiva se a atividade estiver adaptada às situações da vida real da cidade, ou do meio em que vivem aluno e professor.
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL – IBS: A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS
• educação sobre o ambiente – informativa, com enfoque na aquisição de conhecimentos, curricular, em que o meio ambiente se torna um objeto de aprendizado. O conhecimento é importante para uma leitura crítica da realidade e para se buscar formas concretas de se atuar sobre os problemas ambientais.
Jogo - Produção mais limpa

Jogo – Produção mais limpa

Práticas de Educação Ambiental – IBS: Estudo do meio – Microclimas na escola, Jogo de produção mais limpa.
• educação no meio ambiente – vivencial e naturalizante, em que se propicia o contato com a natureza ou com passeios no entorno da escola como contextos para a aprendizagem ambiental. Com passeios, observação da natureza, esportes ao ar livre, ecoturismo, o meio ambiente oferece vivências experimentais tornando-se um meio de aprendizado;
Visitas de Sensibilização

Visitas de Sensibilização

Práticas de Educação Ambiental – IBS: Visitas de Sensibilização

• educação para o ambiente – construtivista, busca engajar ativamente por meio de projetos de intervenção socioambiental que previnam problemas ambientais. Muitas vezes traz uma visão crítica dos processos históricos de construção da sociedade ocidental, e o meio ambiente se torna meta do aprendizado.
LEVE - Local de Entrega Voluntária Escolar

LEVE – Local de Entrega Voluntária Escolar

Práticas de Educação Ambiental – IBS: Programa de coleta seletiva na escola – LEVE

• educação a partir do meio ambiente – esta considera, além das demais incluídas, os saberes dos povos tradicionais e originários que sempre partem do meio ambiente, as interdependências das sociedades humanas, da economia e do meio ambiente, a simultaneidade dos impactos nos âmbitos local e global; uma revisão dos valores, ética, atitudes e responsabilidades individuais e coletivas; a participação e a cooperação; reconhecimento das diferenças étnico-raciais e da diversidade dos seres vivos, respeito aos territórios com sua capacidade de suporte, a melhoria da qualidade de vida ambiental das presentes e futuras gerações; os princípios da incerteza e da precaução.
Horta e Viveiro Escolar

Horta e Viveiro Escolar

Práticas de Educação Ambiental – IBS: Maquete de casa sustentável, forno e aquecedor solar, composteira orgânica, horta e viveiro escolar e muito mais

OFICINAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL IBS: TESTADO E APROVADO
BRINCADEIRA SUSTENTÁVEL – apresentar diferentes possibilidades de construção de brinquedos a partir de materiais reutilizáveis. 
VOCÊ PEGA UMA COISA E TRANSFORMA EM OUTRA. NÃO É APENAS RECICLAGEM, É ARTE!
Desde a pré-história, a arte sempre teve um sentido transformador, que não precisa de justificativas.
E frente a ressignificação no que concerne a conscientização ambiental: a relação consumista precisa ser reeducada, pois a raiz de impactos sociais e ambientais, é o consumo desenfreado, desequilibrado e o descarte inadequado na natureza!
O consumo consciente ajuda a diminuir impactos negativos no meio em que vivemos. Precisa-se ressignificar os pensamentos e conscientizar da vida em coletivo; conciliar o meio social e o natural; e reavaliar a aprendizagem humana na perspectiva de reintegração pessoal, social e educacional. 32802183_1675632312544734_9182330673698963456_n
O BRINQUEDO É EXTREMAMENTE IMPORTANTE PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA.
Provocando mudanças, criando situações as quais fazem desenvolver a questão das regras, como também transformações internas. Ressaltamos ainda que a criança, normalmente, quando está brincando, se comporta de maneira diferente do que acontece em sua vida, fazendo como ela acha que deveria ser, assim, internalizando regras.
Levando em consideração a importância do brinquedo para a criança, realizamos a Oficina “Construindo brinquedos com materiais reutilizáveis: uma alternativa sustentável” como uma das ações da área de arte e cultura do Instituto Brasil Solidário – IBS, com objetivo de proporcionar, a criação de brinquedos provenientes de materiais reutilizáveis.
Oficina em Crateús/CE

Oficina em Crateús/CE

RECICLAR PARA BRINCAR: UMA TAREFA POSSÍVEL
Cada brinquedo possui uma relação educativa, a criança utiliza da sua imaginação para criar brinquedos. O cabo de vassoura, por exemplo, pode ser utilizado como um cavalinho de pau, as crianças dão vida às bonecas, reutilizam as meias para fazer bolas e brincar de futebol.
cavalo-de-pet-do-sassa
Vale ressaltar que ao brincar, a criança aprende a se expressar no mundo, participando de novas experiências e aquisições, convivendo com outras crianças, socializando-se espontaneamente.
Compreendendo a importância do brinquedo para a formação da criança e a necessidade de reutilização dos materiais, entendemos que a prática de construir brinquedo com a utilização de material reciclável, em ambiente escolar, pode exercer mais que a função proposta, que é de divertir e proporcionar momentos agradáveis.
Brinquedo "Cai não cai": garrafa pet, palitos, bolas de gude e durex colorido.

Brinquedo “Cai não cai”: garrafa pet, palitos, bolas de gude e durex colorido.

Ela pode, também, apresentar um caráter de elo entre professores, alunos e comunidade.
O processo, que se inicia em sala de aula, pode se estender para a comunidade em que cada criança está inserida: “A ideia do reaproveitamento de materiais descartáveis chega ao conhecimento da família, pela criança”.
 13419203_1007644826010156_8145311581417765306_nNesse sentido, parte-se do pressuposto de que reciclar é mais que uma forma de evitar danos maiores ao planeta ou aproveitar materiais que antes seriam descartados. É verificar uma nova possibilidade de inovar, recriar e aperfeiçoar técnicas, transmitindo uma consciência crítica e aplicável socialmente.
É possibilitar o convívio entre os alunos, uma melhor relação com o outro, sem contar a compreensão de mundo e natureza diferenciada, à medida que constrói, investiga, elabora e desenvolve algo em união com o outro.
Sobre esse assunto, consta na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que a consciência ambiental deve estar incluída na formação do educando e estar entre os temas transversais. Assim, deve ser desenvolvida como uma prática educativa integrada, de forma continuada e permanente, de acordo com a Lei nº 9.795/99.
Bilboquê: garrafa pet, cordão, tampinhas, pedaços de e.v.a ou tinta.

Bilboquê: garrafa pet, cordão, tampinhas, pedaços de e.v.a ou tinta.

Desta forma, acreditando que, por meio do brincar, também se aprende, despertar a consciência ecológica por meio da brincadeira é uma opção saudável e inteligente adotada pelo professor que muito pode contribuir para a efetivação de uma ação pedagógica que lhe permita uma maior aproximação do universo infantil, o que possibilita a ele conhecer melhor a criança, sua forma de pensar, de se expressar, de compreender seus sentimentos, de agir sobre o mundo e de se relacionar com seus pares.

AGORA VAMOS CONSTRUIR E BRINCAR

Quem se lembra desse brinquedo? Mais conhecido como Vai e Vem era a diversão da garotada naquele tempo de brincadeiras na rua. Eu me lembro de brincar muito assim, com os “amigos da rua” e me divertir bastante com brinquedos tão simples.
Nada melhor do que resgatar essas memórias fazendo para a criançada de hoje esse Vai e Vem que reutiliza garrafas pet e, quem sabe, também contar para elas um pouco sobre como era os brinquedos na sua infância, acho que vão adorar ouvir!

Vai e Vem

Vai e Vem

Materiais necessários: 2 garrafas PET, corda de nylon para varal, 4 argolas de plástico, tesoura, durex colorido (ou fitas adesivas).

Como fazer:
1 – Separe duas garrafas pet limpas e sem rótulos. Corte com a tesoura 1/3 da garrafa pet a partir do fundo (o equivalente a um pouco mais que o meio da garrafa);
2 – Utilize as partes de cima que sobraram das garrafas para fazer o “vai e vem”. Encaixe-as uma na outra, deixando os gargalos voltados para o lado de fora;
3 – Separe dois fios de corda de nylon para varal (o comprimento da corda de nylon vai depender da idade da criança, ou seja, do quanto ela consegue abrir os braços). Passe esses dois fios da corda de nylon dentro das garrafas, em seguida amarre cada ponta da corda de nylon em uma argola de plástico;
4 – Para decorar o “vai e vem” passe durex colorido ou fita adesiva em volta das garrafas. Quem quiser também pode pintar as garrafas que fica muito bacana.

pa140105“Permitir que a criança brinque livre e espontaneamente e conduzir um olhar avaliativo sobre este brincar pode garantir um espaço a esta atividade que supere a forma como até então se tem utilizado o brincar, passatempo e/ou liberação de energia, para um espaço de aproximação e conhecimento da criança”.

Se quiser entender o mundo, olhe para si mesmo.
se quiser entender a si mesmo, olhe para o mundo.
o Eu é a ponte para o significado da existência.
Juntos Construímos!

1 comentário

  1. Roberto Brito

    Caros amigos,

    Inicialmente parabenizo vossa valorosa iniciativa!
    Ensinar as novas gerações a amar e cuidar o planeta é algo louvável.
    De momento gostaria de pedir-lhes detalhes sobre as práticas de ensino do tema Micro clima na escola.
    Recebemos uma atividade escolar sobre o assunto e não obtivemos sucesso na pesquisa.
    Antecipadamente agradeço vosso apoio.
    Cordialmente subscrevo.
    Roberto Carlos de Brito – robertobrito73@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


7 + = treze