«

»

Uma ação de leitura que se tornou ponte para a transformação na vida de educadores

Uma ação de leitura que se tornou ponte para a transformação na vida de educadores e da própria comunidade na construção de uma Biblioteca Municipal

“O professor Max Bezerra, de Primavera/BA, começou os trabalhos de incentivo à leitura após as formações do IBS, fez da biblioteca da escola inspiração para o município e logo estava sendo escolhido para Direção da Biblioteca Municipal” MAX -01

Um educador com sede de aprendizado, uma escola motivada e aberta para grandes mudanças, uma ação social abrindo caminho para a transformação dentro e fora dos espaços da escola! Foi em 2011, que o professor Max Bezerra, teve seu primeiro contato com as oficinas práticas do Instituto Brasil Solidário. Nesse mesmo ano, ele havia recebido a missão de ser o responsável pela sala de leitura da Escola de Ensino Fundamental Manuel Antônio Leite, em Primavera/BA, uma sala que em seus 9 m² era dividida como “biblioteca”, sala de professores e ainda secretaria da escola.

Diante dessa realidade, a ação de incentivo à leitura se tornou uma das prioridades da formação do Instituto na escola, tendo como principal medida conseguir uma outra sala para se estruturar como biblioteca. “Quando o IBS chegou na escola, logo percebeu que nossa biblioteca era apenas uma estante de aço com livros sobrepostos, e que em sua maioria nem eram usados pelos alunos, cheio de restrições para o empréstimo de livros, então conseguimos falar com a direção e reservar uma sala 5 vezes maior, o IBS chegou dizendo que estava ali para me ajudar, para mostrar um outro caminho de trabalhar a leitura, então fiquei muito ansioso para participar das formações”, ressaltou Max.

Começava uma nova etapa não só para a escola, mas para o posicionamento, a participação e o engajamento dos alunos, que iria se refletir na própria comunidade e seus familiares. Max, sabia que estava fazendo parte dessa transformação, e dedicou-se a colocar em prática todas as ideias construídas durante as oficinas. A nova biblioteca, que dessa vez tinha orgulho de apresentar aos alunos, recebeu pelo IBS a doação de mais de 1000 livros para o acervo, e conseguiu ainda desencaixotar livros que estavam esquecidos na própria escola. “Quando começamos a organização da biblioteca, encontramos livros que estavam esquecidos e encostados em gavetas, em armários, então, descobri um acervo 3 vezes maior do que tínhamos inicialmente, além dos livros doados pelo IBS”, enfatizou Max.

Para além da organização do espaço, que ser tornou atrativo, lúdico e cheio de atividades, a escola começou a sentir mudanças efetivas no desempenho e participação dos alunos. Os pais chegavam na escola relatando sobre os novos hábitos de seus filhos, que escolhiam passar mais tempo na escola e estavam levando os livros para casa, de repente a sala de leitura havia se tornado um espaço para o contraturno dos estudantes. Max, começou a promover também os projetos de leitura, atividades como a Maratona de Leitura, Oficinas com os livros, a Hora do Conto, não faltaram ações para mobilizar as turmas a estarem sempre presentes na nova biblioteca.

A escola começou a investir ainda mais nas ações de leitura, a sala foi climatizada, precisou de um reforço de mais professores, contando com pelo menos duas pessoas responsáveis pelo espaço e pelas atividades que aconteciam durante todo o ano. “Na época tínhamos um problema muito grande de conseguir fazer os alunos se interessarem por algo, depois da biblioteca, eles passaram a participar mais, escrever melhor, a percepção de mundo também começou a mudar, teve um salto muito importante na aprendizagem e no campo social”, pontua Max.

O hábito da leitura de repente fazia parte dos alunos e da comunidade, os estudantes que precisavam sair da escola quando já estavam no ensino médio, voltavam para a biblioteca para dar continuidade as atividades e projetos de leitura, e sentiam que o espaço continuava de portas abertas para ser um cantinho de estudo e de novas descobertas literárias.

A certeza do impacto das ações de incentivo à leitura, foi concretizada, quando uma nova ação social chegou no município, buscando uma resposta da comunidade e das escolas sobre o que poderia ser implementado que pudesse atender as necessidades solicitadas pela própria população local. Depois de pesquisas realizadas dentro do município, com participação de gestores escolares e audiência com os moradores, foi decidido pelo Grupo Votorantim, a construção de uma Biblioteca Municipal!

MAX-02

“Eu não vejo a construção da Biblioteca Municipal sem o trabalho realizado pelo Instituto Brasil Solidário, que veio plantar aquela sementinha de leitura lá no início, e causou grandes transformações para a escola, os alunos e a comunidade”, diz Max Bezerra. O trabalho de articulação e capacitação feito dentro da escola, proporcionou uma oportunidade importante para Max, que foi escolhido como Diretor da Biblioteca Municipal, com base no empenho e qualidade do trabalho realizado dentro da biblioteca da Escola de Ensino Fundamental Manuel Antônio Leite.

As ideias que fizeram daquela salinha com poucas estantes, migrar para um sonho mais alto e se tornar uma referência como espaço literário em Primavera/CE, abriu caminhos para a formação de leitores ativos e com vontade de uma conquista maior para o incentivo à leitura da região. Os projetos de leitura ganharam nova estrutura com a Biblioteca Municipal, e junto com o educador Max, garantiu que os espaços ganhassem vida com toda a sua experiência e capacitação não só na parte de organização e catalogação dos livros, mas de vivência e conhecimento das programações de leitura de forma lúdica, interativa e criativa!

Texto: Gabriela Martins

Imagens: Acervo IBS 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


três × = 6